mumentus na aldeia II…

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais 
são os mesmos…

E por vezes encontramos de nós em
poucos meses o que a noite nos fez
em muitos anos…

E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que
por vezes
ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro da noite, não os meses,
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes… por vezes… ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos…
(David Mourão Ferreira)

Aceda aqui às 53 fotografias…
aguarde alguns momentos até que apareçam as setas para a direita e esquerda, sinal de que todas as 53 fotografias estão lidas…

9 Respostas para “mumentus na aldeia II…”

  1. Sabry Says:

    Bela foto! Belo registo… o regresso ao passado, ao redor de uma lareira, de pessoas e passada que será uma vida!

  2. Gostava de estar aí,contigo,e com todas as pessoas,que merecem a nossa amizade…Grande Ambiente!!!!

  3. Isabel França Says:

    A aldeia é isto mesmo. Em magníficas fotos, captou-lhe a essência. Parabéns!

  4. fátima mendes Says:

    Ver a essência das coisas, a alma das gentes, os detalhes… as palhas que como biombos transparentes, deixam entrever outros planos…como que nos entranhamos naquilo que registamos…atmosferas, ambientes, imagens que são sons, cheiros, estados de espírito. Tudo isso e mais que é indizível se encontra nesta bela série. Gosto muito!

  5. José Carlos Carvalho Says:

    Já conhecia algumas do sitio Olhares.
    O que vi confirma o que já anteriormente pensava:Magnifica capacidade de observar,descobrir em tudo a simplicidade das coisas.Aliar a simplicidade das fotos,com a capacidade de olhar é só acessível aos mestres.

  6. António, apenas para dizer-lhe que já vi todas… Lindas.

  7. Magnífico post. . . Espetaculares imagens de uma aldeia portuguesa! Faltam-me ainda as duas últimas… Amei a igrejinha acessa a noite (pode dar-me???), tão singela!! E vi o João e a mãe, caso não me engane… Tudo, lindo, delicioso… Sempre acalentei o desejo de ir morar no interior do Brasil, mas para mim será impossível.
    Parabéns…

  8. Lindíssimas fotografias, António… Parabéns. Estas fotografias bucólicas fazem-me sentir uma nostalgia de algo que efetivamente não vivi. Bonito mas muito triste poema. Este espaço seu é espetacular…
    Denise.

    (não fique zangado, nem triste, mas aqui no trabalho abriram apenas 21. Em casa verei todas).

  9. adoro este blog, cada vez melhor…aqui está-se melhor que no “outro lado”. Séries de fotos fantásticas, um trabalho maravilhoso e um blog lindo, muito lindo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: